Buscar por:  


Plano Safra 2020/21 é debatido pelas associadas ABIMAQ /SINDIMAQ com diretor do MAPA



Wilson Vaz de Araújo expôs as principais mudanças do Plano Safra 2020/21 e seu impacto nas políticas de investimento e desenvolvimento dos segmentos industriais ligados ao setor agrícola

“Perante toda conjuntura que estamos vivendo e as dificuldades orçamentárias do Tesouro Nacional por conta dos gastos inesperados que estão sendo feitos devido à crise atual, a minha avaliação é que saiu um bom Plano Safra. Estamos fazendo uma corrida para que tudo que foi anunciado, no dia 17 de junho, esteja regulamentado e operacional em 01 de julho”. Essa foi análise inicial de Wilson Vaz de Araújo, diretor do Departamento de Crédito e Informação da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), na webinar promovida pela ABIMAQ /SINDIMAQ no dia 18 de junho. O evento online contou com a participação média de 100 pessoas.

Araújo relatou que o Plano Safra contará com R$ 236,3 bilhões de recursos para crédito rural, um aumento de R$ 13,5 bilhões em relação ao anterior. Desse total, R$ 154,3 bilhões serão para juros controlados e R$ 82 bilhões para juros livres. “Serão destinados R$ 1,3 bilhões para seguro rural e R$ 2,37 bilhões* (a confirmar) para o apoio à comercialização”. 

Com relação ao volume de recursos, o diretor do MAPA disse que o programa vai destinar aos pequenos agricultores rurais R$ 33 bilhões para financiamento em atividades agropecuárias por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Já os médios produtores rurais, o valor será de R$ 33,2 bilhões por meio do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp). “Os demais produtores e cooperativas vão contar com recursos da ordem de R$170,17 bilhões”.

Sobre a taxa de juros, Araújo mostrou uma tabela comparativa do Plano Safra atual com o anterior. (Confira abaixo.)

Araújo acrescentou que foram destinados 33,3% a mais de recursos para o programa Inovagro, que financia inovações tecnológicas, neste plano foram acrescentados estações meteorológicas e produção de bioinsumos. Além disso, houve aumento de 43,4% de recursos do Moderinfra, destinado ao apoio à irrigação por meio de financiamento para aquisição de equipamentos de monitoramento. 

Com relação ao financiamento de máquinas e equipamentos, o diretor do MAPA disse que serão destinados no total R$ 11,8 bilhões, sendo R$ 9 bilhões para o Moderforta e R$ 2,8 Bilhões no Pronaf Mais Alimentos. 

Os financiamentos podem ser contratados de 1º de julho de 2020 a 30 de junho de 2021.

PERGUNTAS

Pela ABIMAQ participaram João Carlos Marchesan, presidente do Conselho de Administração, José Velloso, presidente executivo, Pedro Estevão Bastos, presidente da Câmara Setorial de Máquinas e Implementos Agrícolas, Renato Silva, presidente da Câmara Setorial de Equipamentos de Irrigação, e Paulo Bertolini, coordenador do GT-Armazenagem. Eles fizeram perguntas e analisaram as mudanças do Plano Safra. 

Silva agradeceu ao destaque que foi dado para a irrigação no Plano Safra. “Isso mostra o alinhamento entre os Ministérios da Agricultura e do Desenvolvimento Regional com as entidades e a iniciativa privada. Além disso, será um passo importante para sairmos dos 200 mil hectares ano e ir para 400 e que um dia chegar a 7 milhões de hectares, ou até mesmo alcançar 26 milhões que os Estados Unidos têm ou os 69 milhões da China”. 

O diretor do MAPA ressaltou que não houve aumento de nenhum limite de crédito. “No caso da irrigação são 3 milhões e 300 mil reais e se for um processo coletivo pode ser 3 três vezes maior esse valor. O prazo está mantido nos 10 anos com até 3 anos de carência”.

Bertolini questionou se tem diferença entre o Programa para Construção e Ampliação de Armazéns (PCA) cerealista e o PCA grãos, o seu prazo e carência.

Araújo explicou que não existe diferença. “O cerealista continua com aquela limitação de R$ 200 milhões com espaço de contratação aberto até 30 de junho e não vai voltar a partir de 1 de julho. O cerealista não é beneficiário do crédito rural nos processos de investimentos e de custeio, ou seja, é favorecido somente no processo de comercialização. Este ano o prazo do armazém foi reduzido para 13 anos e com carência de 2 ou 3 anos. Já o tomador não tem limite e o juro é de 5% para armazéns de até 100 mil toneladas de capacidade”. 

A respeito do tomador do Moderfrota, Araújo expôs que foi limitado para R$ 45 milhões, antes era R$90 milhões. “Avaliamos junto ao BNDES e ao Banco do Brasil e constatamos que mais de 90% das operações são financiados por produtores com renda abaixo de R$25 milhões”. O programa tem o percentual financiável de até 85%, prazo de financiamento 7 anos e 14 meses de carência. 

Sobre a possibilidade dos recursos dos programas se esgotarem, Araújo colocou que existe a alternativa de remanejar recursos. “Nós trabalhamos com a margem de segurança e eventualmente se tiver um programa com demanda mais forte e um outro que não esteja acontecendo lá na frente nós fazemos os remanejamentos”. 

Bastos relatou a preocupação pela falta de crédito para o mercado de máquinas agrícolas, a restrição do tomador para R$45 bilhões e a descontinuidade de programas. “Nos últimos 12 meses esse segmento teve vendas na ordem de R$ 30 bilhões. Este ano safra que está fechando estimamos que 4 milhões não conseguiram ter acesso ao financiamento e financiou a juros de mercado, que é mais caro. Além disso, o ministério está deixando de lado o grande agricultor que ficará sujeito a juros mais alto do mercado. Outro ponto é que quando se esgota recurso antes, as indústrias ficam paradas e o empresário não consegue recuperar os negócios perdidos”.  

Araújo compreendeu os pontos exposto por Bastos, mas ressaltou que o foco do Plano Safra atual será o pequeno e médio produtor. “O ideal é que nós pudéssemos financiar tudo com a participação do Estado, no entanto, não há recursos públicos para bancar todo setor industrial”. 

Marchesan alertou que ao restringir para R$45 bilhões o faturamento bruto vai impactar na renovação do parque industrial de máquinas. “Mas agradeço o empenho do governo em prol do setor. A luta continua”.  

Araújo afirmou que a discussão foi muito importante para poder identificar onde pode buscar uma calibragem no Plano Safra. “Temos que dar um start no Plano Safra e trabalharmos para que ele aconteça. Eu lhe asseguro perante tudo aquilo que discutimos nos últimos quatro meses tiramos muita coisa muito boa”.



Índice


Envie para um amigo.
Número: 245
Julho/2020

Outras edições
select



Buscar matérias

Informaq

Visando mitigar os efeitos da pandemia, empresas ligadas à ABIMAQ continuam com ações voltadas ao combate da propagação do vírus. Leia mais...

A live com vice-presidente da República contou com a participação média de 420 pessoas. O futuro da indústria, do emprego e a transformação digital da economia devido à Covid-19 foram alguns dos assuntos abordados. Leia mais...

Reunião teve como objetivo externar a preocupação dos setores envolvidos na Coalizão com a retomada da economia. Leia mais...

Para José Velloso, presidente executivo da ABIMAQ, Idarilho Nascimento, presidente do Conselho de Óleo e Gás da ABIMAQ, e Alberto Machado. Leia mais...

Com a participação de João Marchesan, presidente do Conselho de Administração da ABIMAQ, José Velloso, presidente executivo e Cristina Zanella. Leia mais...

Wilson Vaz de Araújo expôs as principais mudanças do Plano Safra 2020/21 e seu impacto nas políticas de investimento e desenvolvimento dos segmentos industriais ligados ao setor agrícola. Leia mais...

Reformas tributária, administrativa, previdenciária, a importância da indústria de máquinas e equipamentos para a retomada da economia, o papel do legislativo para superação da crise gerada pela Covid-19. Leia mais...

Com o principal objetivo da solicitação do não veto ao artigo 33 do Projeto de Lei de Conversão 15/2020, a ABIMAQ enviou correspondência à Presidência da República. Leia mais...

Com essas palavras, o professor Delfim Netto, ex-ministro da Agricultura, Fazenda e Planejamento, respondeu as primeiras questões e deu início ao webinar. Leia mais...

“Essa é a terceira edição da sondagem ‘Impacto da pandemia da Covid-19’, realizada pela Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (ABIMAQ) na semana do dia 19 de junho a 30 de junho. Leia mais...

A ABIMAQ, em parceria com a empresa mhconsult, empresa especializada em desenvolvimento organizacional e treinamentos corporativos, realizou, no dia 09 de junho, uma webinar. Leia mais...

Encontro contou com participação de representantes de empresa especializada em consultoria de gestão. Leia mais...

Cenário e perspectivas do aço e metalurgia, fundo de capital para apoio a projetos de mineração no Brasil e agregação de valor nos produtos do segmento de mineração foram alguns dos assuntos debatidos. Leia mais...

Novidade foi apresentada durante reunião online promovida por diretores da associação. Leia mais...

Sistema visa facilitar e acelerar os pleitos de alteração tarifária. Leia mais...

Governo brasileiro dá novas sinalizações. Leia mais...

O Projeto Plástico Brasil No Ar é uma iniciativa da feira Plástico Brasil e visa reforçar o propósito da feira de contribuir com o fomento do mercado do plástico e aproximar os grandes nomes do segmento. Leia mais...

O departamento de Financiamentos da ABIMAQ realizou, no dia 19 de junho, um evento online juntamente com a ABIMAQ Norte Nordeste para oferecer aos associados oportunidades de financiamentos nas regiões Norte e Nordeste. Leia mais...

Quatro instituições se uniram à ABIMAQ PR para apresentarem soluções de financiamentos aos associados da entidade. Leia mais...

Neste árduo momento do cenário atual com a chegada do novo coronavírus (Covid-19) no país, foram diversos os impactos causados que vão além da saúde pública, mas que afetam também o desenvolvimento socioeconômico. Leia mais...

Entidade considera custos e juros do programa elevados, mas continua trabalhando em melhorias. Leia mais...

A ABIMAQ em parceria com Juliano Kimura, que é palestrante, Creative Thinker, Transformador Digital e consultor de inovação digital e redes sociais, realizou, no dia 24 de junho, o segundo webinar de marketing digital. Leia mais...

No dia 17 de junho foi publicada no Diário Oficial da União a Portaria nº 245, que prorroga o prazo para o recolhimento de tributos federais, na situação que especifica em decorrência da pandemia relacionada ao coronavírus. Leia mais...

O recuo menos agressivo das receitas domésticas e externas, permitiram uma queda mais amena da receita do mês de maio. Leia mais...

Nos anos 20 e 30 do século passado importamos conhecimentos pseudo “científicos” a respeito dos fatores que condicionariam o nosso desenvolvimento econômico. Leia mais...

Apoio institucional